Quinta-feira, 23 de Novembro de 2006

Vinho e Aguardente na Quinta do Chico

Na tarde de sábado, dia 18 de Novembro de 2006, eu, os meus pais e a minha irmã fomos provar o vinho novo à quinta do meu tio Joaquim, denominada Quinta do Chico. E, antes de irmos para a quinta, fomos buscar a minha avó materna, para ela nos acompanhar e estar connosco.

Quando lá chegámos as minhas duas primas, Margarida e Leonor, que têm 5 anos, foram-nos abrir o portão para a gente entrarmos na quinta. Quando já estávamos dentro de casa do meu tio começámos a conversar. Depois, passado um bocadinho, fomos ver o vinho e a aguardente que o meu tio estava a fazer. O meu tio explicou-nos como faz o vinho e a aguardente: é necessário utilizar uma talha e um alambique.

Na quinta do meu tio existem videiras de diferentes castas, que são as diferentes espécies de uvas que ele tem. Quando as uvas estão maduras ele colhe-as e com uma máquina esmaga-as. Depois ele põe as uvas esmagadas numa talha e deixa-as fermentar para fazer o vinho. Mais tarde, após retirar o vinho para uma cuba de inox, para depois engarrafar, fica no fundo da talha a balsa, isto é, uma espécie de borra do vinho, que resta da uva depois de se fazer o vinho. A balsa é utilizada para o fabrico da aguardente.

Para fazer a aguardente recolhe-se a balsa para um alambique. Depois fecha-se o alambique e põe-se ao lume. O vapor libertado passa através da serpentina do alambique onde arrefece e condensa. O líquido que resulta da condensação é a aguardente.

Depois da demonstração a minha tia grelhou carne na lareira. De seguida fomos jantar com eles e os adultos provaram o vinho novo de S. Martinho, ainda que uma semana mais tarde, e a aguardente.

Foi uma tarde divertida a aprender.

publicado por off and on às 22:47
link do post | comentar | favorito
Domingo, 12 de Novembro de 2006

Os cinco amigos

       Era uma vez um cãozinho que tinha quatro amigos, todos animais como ele. Esses amigos eram: uma girafa, uma lebre, um gato e um pónei. O grupo decidiu ir fazer um jogo, para o jardim frente ao prédio onde viviam e, esse jogo foi o das escondidas. Como vocês sabem para escolher quem ficará a contar precisa-se de fazer um “dolitá” e, naquele grupo, calhou ao cãozinho ir contar. Ele de imediato começou a contar:

         - 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13… – até 51.

         Quando chegou ao 51, disse:

         - Aí vou eu!!!

         Como o cãozinho era muito esperto, sem fazer barulho, foi se aproximando de lugares possíveis onde eles poderiam estar. Atrás de um arbusto estava a lebre e o cãozinho desconfiou que ela estivesse ali por causa do barulho que fazia. A lebre como não sabia que o cãozinho estava por perto, foi ver se podia “safar-se”. Mas o cãozinho viu-a e, os dois, foram a correr, apressadamente, para ver qual deles chegava lá primeiro para se “bater”. Quem chegou primeiro foi o cão e “bateu” a lebre. Depois o cãozinho retomou o que tinha feito para encontrar a lebre. O pónei, como era um pouquinho burrinho, foi se esconder na caixa de areia do jardim, onde era muito fácil vê-lo. O cãozinho lá ia à procura dos seus amigos quando viu o pónei e foi a correr para o “bater”. Quando acabou, disse:

         -Pónei já estás batido! – Para o caso de ele não ouvir.

         Depois o cãozinho foi procurar os seus dois amigos que faltavam. Quando estava a procurá-los, o cãozinho foi surpreendido pela girafa que conseguiu “bater-se” sem que ele soubesse. Depois já foi mais fácil porque só faltava o gato. Então, desta vez, o cãozinho fez de outra maneira para encontrar o gato. Começou a dizer piadas que o gato achasse engraçadas, para ele se rir e assim pelo riso encontrar o local onde ele estava. Mas, passado algum tempo, o gato não aparecia e o cãozinho e os outros começaram a ficar preocupados:

         - Gato onde te meteste? - Dizia a lebre.

         - 123 Macaquinho do chinês. Dizia o cão para o gato se rir.

         - Gato não te metas com brincadeiras, aparece que nós estamos preocupados contigo! – Dizia a girafa.

         - Aparece gato! – Dizia o pónei preocupado.

         E eles continuaram a chamar pelo gato, até que um deles teve uma ideia:

         - Então se a gente fosse à procura dele?

         - Pois é, é isso, temos que ir à procura dele. – Dizia a girafa.

         Entretanto o cãozinho sugeriu:

         - Fazemos assim: a girafa vai à procura dele no parque para crianças, o pónei vai à procura dele na caixa de areia, a lebre vai à procura dele nos arbustos e eu fico aqui para o caso de ele aparecer. Está bem assim?

         - Sim! – Disseram eles.

         - Ah, e já agora quem o encontrar vem para aqui. – Dizia o cãozinho.

         Então, lá foram eles à procura do seu amigo. A lebre procurou atrás dos arbustos como foi combinado mas não encontrou nada nem ninguém. O mesmo aconteceu com o pónei que não encontrou o gato na caixa de areia. O cãozinho também não o viu, portanto, só faltava a girafa mas ela também não viu em lado nenhum.

         E, agora, perguntam vocês, onde é que o gato se meteu? O gato, imaginem, foi para casa e só não disse a ninguém porque se esqueceu. Mas, eles estavam muito preocupados e até pensaram em dizer à polícia canina que o gato tinha desaparecido. Só não disseram porque o cãozinho disse:

         - Que tal se fossemos a casa dos donos dele?

         - Parece me bem. – Disse a girafa.

         -Então vamos! – Disse o pónei.

         E lá foram eles para a casa dos donos do gato. Quando lá chegaram tocaram à campainha:

         - Trim! Trim! Trim!

         E quem abriu a porta foi um homem simpático com cara de ser boa pessoa:

         - Quem são vocês?

         - Somos os amigos do gato. – Disseram eles.

         - Ah! Sim são os amigos que brincam com ele no parque. Entrem! – Disse o homem.

         - Ah obrigado. – Agradeceu o cãozinho.

         - Então o que vieram cá fazer? Oh, deixem-me adivinhar, vieram cá falar com o gato.

         - Sim foi por causa dele que nós viemos cá.

         - Querem que eu o vá chamar?

         - Mas ele está aqui?! – Perguntou o pónei.

         - Sim, está no quarto dele. – Disse o homem.

         - Pode ir chamá-lo, s.f.f.? – Disse a lebre.

         - Claro!

         - Gatoooo… estão aqui os teus amigos! – Disse o homem.

         - Estou a ir! – Disse o gato.

         Quando o gato lá chegou eles perguntaram:

         - Podemos ir para o teu quarto?

         - Sim podemos.

         Quando já estavam bem instalados no quarto dele a girafa disse:

         - Então foi aqui que tu te meteste?!

         -Ah, desculpem, esqueci-me de vos dizer, eu vim para casa porque tinha umas coisas para fazer. Desculpam-me? Foi sem crer! – Disse o gato.

         - Está bem nós desculpamos-te.

         - Mas para a próxima tens que avisar que te vais embora, se não nós ficamos preocupados contigo. – Disse o cãozinho.

         Depois o cãozinho, o pónei, a girafa e a lebre foram para as suas casas.

         E assim terminou o dia divertido dos cinco amigos.

publicado por off and on às 20:34
link do post | comentar | favorito

Off and On

Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

a minha cidade

horas on

posts recentes

Tsunami de pessoas em Ala...

E já vão dois!

Campo de Férias do Aminat...

Peripecia na praia...

Férias Boas e Más

Acróstico Fernando Pessoa

Torneio mini fundo de cad...

2009 está a chegar...

Benfica 3 – 2 Portugal

Benfica à Quique

Euro ao rubro!

A minha primeira vez… na ...

Oh pra mim!

Temos que parar com isto…

1º de Maio - Dia do Traba...

Uma aventura escaldante

Benfica de regresso às vi...

25 de Abril

A volta do Alentejano

Norte de Portugal

Inacreditável!

Campeonato de Matemática

Bom 2008

Os últimos dias de 2007

Uma vitória, não muito co...

Regresso às aulas

Portugal – Polónia

Jantar de Aniversário

Voltei!

Algarve

A guerra dos triângulos

O passeio na Ecopista

Parabéns Manel

Círculos Malukos

O Jogo do Guadiana

O meu primeiro ano de vid...

Redondo em Festa

Simão no Atlético de Madr...

A lenda do Kluzz

O blog do meu amigo Manel

Cadaval: A noite de gala ...

Cadaval: Os jogos das noi...

Cadaval: Passeios lá fora

Cadaval: A camarata

Cadaval: A “Hora do Recre...

Cadaval: Team Games

Cadaval: a piscina

Cadaval [I]

On

Off

arquivos

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

tags

25 de abril

ambiente

amigos

amor

aniversário

ano novo

arena d'évora

aulas

biblioteca

blog

blogs

cadaval

carnaval

curiosidades

desenhos

desporto

destaque

évora

fada

fada palavinha

fada palavrinha

férias

festas

futebol

gigante

gigante das bibliotecas

gripe a

história

histórias

humor

kluzz

leitura

lenda

matemática

música

nataçao

off

on

país

palavrinha

páscoa

passeios

s.joão

tempo de aventura

terra d'água

vida

zeca afonso

todas as tags

links

pesquisar

 

tempo e horas

Click for Evora, Portugal Forecast

espreitadelas

Free Web Site Counter
Free Counter
blogs SAPO

subscrever feeds

slb